quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Jones - Collins _Astoria Strut (1929)




"Poesia no ar" ou "O Mavioso" ou "O Gênio das Flores"



A máscara (a imagem) estava adjacente à mim,
por isto a vi.
Fui atrás de outras.
Encontrei-as em diferentes ambientações,
e até de ponta-cabeça, 
com elas eu brincava.....
...com as formas do olhar. 
Mas com a foto abaixo, senti que a aventura, o processo de máscaras se apresentando (as carrancas, os tótens, o inconsciente coletivo, o mito, as mistificações, o arquetípico) com o hibisco vermelho se fechara.

O hibisco rosa


De repente, era como se não tivesse visto hibiscos de outras cores. Mostravam-se por toda parte, como o rosa da foto acima. Um novo campo do olhar se abria, e para além da visão decodificadora de até então. 

A natureza vestia encanto, sorria manhã radiosa. Assim eu sentia o hibisco solitário ladeando o caminho, ancorando outro estado de consciência em crescente de integração. Clickt. Quis fotografar, quem me dera, a Poesia destes ares, o encanto do chão da Terra sob a abóbada celeste e, andando, esqueci-me. 

O hibisco amarelo amarelinho


Admirando o amarelinho de um outro hibisco, vi uma singela casinha no meio do bosque. CLICKT. Pois o 'amarelinho' emoldurando a imagem se mostrou, na imediata revelação digital, o transcender da forma. Um rosto de perfil só então identificado no plano laminado da fotografia. 


Um gametófito se pronunciando do cálice dos olhos para o chão da terra mãe em comum. Um galho atravessando o caminho em diagonal à mim. A casinha no meio da mata nativa... A aventura rumara para a ventura. Apresentara-se-me o mavioso. Não poderia tê-lo previamente imaginado, não assim. Desliguei e guardei a máquina. Fiquei com a imagem mental aberta em minha mente. 

Andei mais um pouco. Sentei-me sobre uma raiz de árvore e ali fiquei bebendo daquela atmosfera encantada. Passou-se uma eternidade. Depois fui até o carro que eu deixara na casa de um amigo, o qual, junto a dezenas de outros, ainda peregrinavam por Jarinu em harmonia com o espírito natalino. Um compromisso, um dever final anteriormente combinado com Regina e dentro dos preparativos de véspera de Natal, impingia voltar pra minha cidade.

No caminho de volta me lembrei da minha primeira foto ao chegar na Vila Nova Trieste. Tudo, enfim, começara neste clickt. Emoção primeira. Agora eu sabia, a flor da bananeira e o Gênio das Flores. (JRToffanetto) 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Haicai #17. “Raio cai”


Haicai #17.
“Raio cai”

Hay! Cai 

chuva no papel 

deserto, decerto

seco de poema

JRToffanetto




Wood Herman _Blue Flame





terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Manoel de Barros _O apanhador de desperdícios





Manoel de Barros

O apanhador de desperdícios

Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim um atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato
de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios.

andromeda mega express orchestra - le pretre vire


www.andromedameo.com

September 2010
andromeda mega express orchestra
(www.andromedameo.com)

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Andromeda Mega Express Orchestra - In Light of Turmoil (Berlin, 2014)

NO CENÁRIO ALEMÃO DE JAZZ
Live at Heimathafen Neukölln in Berlin - September 15th, 2014


Stephane Grappelli - Tears (Lágrimas)

Alegres ou tristes, sobretudo belas, lágrimas são mágicas. Reveladoras do eu natural, no outro puxam lágrimas irmãs. Todas de um só coração em gênesis, o Coração Maior. (JRToffanetto)



A Bela Adormecida

Lá do Azerbaijão, país transcontinental,
a criatividade da fotógrafa Aynur Rustemzadeh

A Bela Adormecida de Aynur Rustemzadeh



sábado, 26 de dezembro de 2015

Fotopoema Shirlei Sabbag _Presença Infinita, poema JRToffanetto

Fotopoema de Shirlei Sabbag 
nos arredores da Cidade de Paulínia/SP,
gentilmente cedidas para esta postagem

A Presença Infinita
na frente de tudo,
por trás de tudo,
dentro de tudo,
em cada um de nós,
ou apesar de nós
(JRToffanetto)

Dizzy Gillepse - Blue & Sentimental


Dizzy Gillespie - Blue And Sentimental

This album contains a selection of recordings made by Dizzy Gillespie in Paris in 1952 and 1953.




Tenor Sax - Don Byas


Nando Reis e Andrea Martins _Luz dos Olhos (Nando Reis)

Som verão


Lenine - Paciência (acústico)









Que coisa bo...a


Lenine _Paciência

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso, faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não

Será que é tempo
Que lhe falta pra perceber?
Será que temos esse tempo
Pra perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara
A vida não para não

A vida é tão rara

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Eterno Natal Solidário em Vila Nova Trieste, Jarinu/SP (5)


Quem planta Amor colhe Felicidade.


A simplicidade é a beleza que existe em todos nós.


Está na criança,


no adolescente,


no adulto, no velhinho,


e em todos aqueles que sonham.


Quem sonha acredita. É do coração o amor que
vence todos os obstáculos para ver o outro feliz.


Tudo faz parte deste sonho mágico,


real,


lindo,


sempiterno.


Como é bom tocar o sonho, acreditar,


é ponto de plenitude.


O Natal é pertence do coração,


é pentence de todos os corações.
Bate feliz até os confins do Cosmo.


É caminho que vai dar no Sol.

Em Eterno Natal Solidário (4)

Natal Solidário em Vila Nova Trieste, Jarinu/SP
Luz, Esperança e Amor



É Natal


Papai Noel chegou


Roupas no varal, casa limpa, gente feliz, gente boa.


Crianças são presentes 


e os pais, ricos portadores do futuro.


Emoção pura, verdadeira,


que vem do coração em festa.


Toca, contagia a todos.


Está na Delicadeza do olhar.


no Amor.


oh!


ah!


Menino Jesus no colo de todas as mãezinhas pelo mundo. 


Todos nós somos responsáveis por cada pequenino(a), pela nossa rua, pela nosso bairro, pela nossa empresa, pela nossa cidade, pela cidade vizinha, pelo Brasil, pelo planeta, com Luz, Esperança e Amor.