segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Barbara Dennerlein & Rhoda Scott on Hammond B3 Organ




fotoPoema Imagético 6 _Até bananeira

Agradeço ao amigo Antonio Carlos Martins
que me convidou para conhecer a horta que ele cultiva em terreno contíguo à sua casa.
Saí de lá com sacolas de machuchus, alfaces, cebolinhas...
A satisfação dele foi a minha satisfação.



Até bananeira
trouxe para fora seu coração carregado de frutos
a amadurecer polpa doce


torta de banana
geléia de banana
bananada



bolo  de banana
banana com mel e aveia
vitamina de banana



banana cristalizada
banana flambada
farofa de banana

O coração ou musa paradisíaca


bala de banana
iogurt de banana
e... banana adiante


JRToffanetto

Link: COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DO CORAÇÃO DA BANANEIRA E SUA UTILIZAÇÃO COMO UM ALIMENTO ALTERNATIVO

domingo, 29 de novembro de 2015

Take Five - The Dave Brubeck Quartet

Em prazer de ser e estar levo um, take five. (JRToffanetto)

video


Fotógrafos de Rua (7 Imagens)

Clique em uma imagem para ampliar todas


frank haumann


edelweis senja 
\

B. Schwab



Carl G.


d2 yulianti


Carl G.


d2 yulianti


Walter Franco - Vela Aberta




Sob céu


Sob céu encoberto de hoje as flores se dão para a luz,
não por teimosia, mas por dever. A vida continua.
(JRToffanetto)

                                                                                                               Em 2012


Haicai #514



Haicai  #514
 
Fenda na calçada
não obstou a semente,
abriu-se pra luz
 
JRToffanetto

sábado, 28 de novembro de 2015

Desprendimento (Fotopoema imagético - 5)

Desprendimento
(Fotopoema imagético - 5)

não
se assombre
não
se a sombra
não
se soma.

se sombra larga
se larga do pé


(JRToffanetto)



Linguagem da fotografia - Ensaio



Depois de muito passar em frente do Espaço Imperatriz (subindo a Av. 23 de Maio na Vila Mariana/SP), finalmente resolvi fotografá-lo em 2013. Não o fizera antes por que me faltava o "clique", uma criação de estado. De repente, preso ao trânsito lento empunhei a máquina e, sem paixão, clickt. Hoje, revendo este registro, entendi que o estado estava criado à muito, bastava o momento único, adjacente, o de todas as possibilidades. Mais uma vez me certifico que na frente da imagem há alguém por trás da camara e, por trás deste alguém há outro alguém na frente de tudo tudo. É Ele quem nos leva a outro patamar. Dá-se de presente a nós. Ele é o que somos, basta acionar(-se). Enfim, é o que aprendo e apreendo, sinto, vivo, sou. Pra quem entrar na perspectiva por se afastar dela... Nada está dentro ou fora. Tudo é eterno presente e, também, linguagem da fotografia. (JRToffanetto)

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Primavera na "black friday" Cidade


Importante notícia de última hora: "Ainda É Primavera na Cidade". Agora que todo mundo sabe, levem seus olhos para passear mas, primeiro, é preciso ter olhos caso a black friday não tomou conta da maioria deles em todo o pais. Puxaram curvando e colando-os nos preços da hora. Uma festa do consumo.

Enfim, a natureza não precisa de "promoção", nem chamar atenção. Belas criaturas aladas atraídas pelas cores e olores das flores o são pela harmonia, pelo equilíbrio polinizador, pela manutenção da vida no planeta. A árvore segue silenciosa em seu movimento permanente desde as raízes. Viva a primavera, uma festa da vida.
(JRToffanetto)



quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Talvez eu fosse tão vilão para ela quanto a árvore. (Crônica)

FotosJRToffanetto


Passeava meus olhos pelas flores de uma árvore relativamente comum nos bairros da cidade.


 Meu sentimento era de  que ela cumpria o objetivo para o qual viera.


Atrás de mim ouço uma voz feminina  dizendo:


- Tão linda ela é, pena que tanto suja a calçada.





De mente negativa, ela não viera falar da beleza da árvore e suas flores, mas invalidá-las junto ao meu olhar. 

Sem olhar para ela, respondi-lhe:


- Dona, a calçada, toda colorida assim, está linda linda.


Virei-me para, frente a frente, ouvir alguma resposta da mulher, 


...mas a vi desaparecendo de cena, 
escondendo-se dentro de um carro junto à calçada, 

O que ela poderia saber daquela árvore que houvera enfrentado o outono 


e os rigores do inverno para, abrindo-se em flores, saudar a primavera. 



Talvez eu fosse tão vilão para ela quanto a árvore. 

JRToffanetto


segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Poema Imagético #4 _Fechado pelo tempo




















Fechado pelo tempo,
guarda-chuva sobre piso negro em poça d’água do céu.

Reflexo ponto de exclamação.
Interroga-me imagem composta contra parede branca.

Ao azul do infinito Luz,
mesmo céu abriu nuvens de peso cinza escuro.

!Oh benquista chuvarada a terra guardou

(JRToffanetto)


domingo, 22 de novembro de 2015

"As estrelas continuarão a brilhar" (Érico Veríssimo)


Foto do fim da tarde de hoje




Do romance "Olhai os Lírios dos Campos" de Érico Veríssimo (texto de memória):
Pela janela ele olhava os lírios dos campos. Num dado momento o coronel Cintra lhe pergunta:
- E você Eugênio, Stalin ou Mussolini? E ele responde:
- Antes de Stalin e Mussolini as estrêlas já brilhavam no céu. Eles passarão, e as estrelas continuarão a brilhar.

Cristina Buarque canta Zé Ramos no Programa Ensaio 1998 e "Quantas Lágrimas"


Maria Christina Buarque de Holanda, cantora e compositora brasileira, professora do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Cristina Buarque -  23/12/1950 São Paulo, SP 

Cristina Buarque, artista e cientista política de grande potencial criativo, de postura política definida e pouco comum nos dias de hoje, sobretudo contemporânea, muito tem contribuído para a nossa cultura popular. Independente, traz no coração as raízes brasileiras. (JRT)



Candeia _Silencio Tamborim e _Prece ao Sol

Candeia (1935-78), sambista
e compositor brasileiro





Maíra Freitas "O show tem que continuar" [letra]




Uma roseira me disse (JRToffanetto)

No início deste meu "Poemas de Sol" (2011) publiquei "Porque não falei dos espinhos (1) e (2)". O primeiro continua irretocável, mas no segundo revi a forma. Reuni os dois textos na postagem abaixo:



1.
A roseira, por sentir o prelúdio dos seus botões velados, segue em cândida e laboriosa meditação à rosa de quem se diz aprendiz. Dela auscultei o declame aos que se prendem a um botão de rosa. Nela está a metafísica do belo até pelos seus espinhos. Disse-me do Jardineiro, o Mestre da Luz, e me contou uma história fabulosa, só conhecida por ela e o Jardineiro. O Jardineiro é aquele que ensina as  pessoas a retirarem rosas do coração. Quando seus aprendizes o conseguem, tornam-se poetas da rosa.  

Elegantemente, ela se apresentou assim:

- Entre as flores, a rosa é rainha. O Jardineiro é seu consorte. Eu sou filha desse amor divino que todo dia os vê casando-se na luz. 
- - -
2.
Disse a roseira:
A rosa esmagada por uma mão insana mostra quão grandiosa é a força da beleza.

O belo é, em si, a maior defesa. Não precisa de defensores. Gloriosos os que pela rosa estiverem na linha de frente.


Íntima da Luz na longa noite escura, em delicadeza permanece por todos os pontos escuros.

O céu nela se encerra prendendo-se por um dos seus espinhos.

A Terra precisa da rosa, a rosa não precisa da Terra. A Rosa veio pela Bondade.

No botão ainda velado está o sol nascente. As flores nascem para a Luz e a ela se dão. 

Seu olor é da intimidade do Cosmo.

Rosa e espinhos emendam céu com terra. Os espinhos voltam-se pra terra e a roseira, através da rosa, dá-se à Luz.

Os espinhos são reminiscência da sarça e dizem ao Homem que ele também está no fogo do espírito: a Beleza, a Perfeição que é maior que a si próprio.


Jairo Ramos Toffanetto

Olmir Stocker (Alemão) - Só Danço Samba

Olmir Stocker, mais conhecido como Alemão, 
é um guitarrista e violonista brasileiro



Quem postou este vídeo no Youtube não colocou o nome do guitarrista em solo com o Alemão. Desde 2009 (data da postagem) que a correção não vem. Mesmo assim, que bom que postou.


sábado, 21 de novembro de 2015

Lanny Gordin faz uma apresentação inesquecível

Irreverente e genial, o lendário Lanny Gordin




Alexander Gordin, mais conhecido como Lanny Gordin, é um instrumentista e compositor brasileiro

Brazilian Jazz Trio - Original Song (Manacás)


Tico Souza - Piano, Andre Valerio - Guitar,
Riquinho Fernandes - Drums

Manacá (Google Imagens)

STAN GETZ : The Last Recording 1990


Sempre entendi "cool" como sinônimo de elegância, e elegância = beleza, e beleza = perfeição. Talvez a melhor tradução para a língua portuguesa seja "refinado", hoje, entendo por "cool" como "muito lindo". A beleza que nos chega tomando, trazendo-nos para dentro. 

"The Last Recording" chegou me tomando deste modo. Pena que o som do vídeo é interrompido depois de magistrais uma hora e quarenta e tres minutos. Quem sabe o encontre completo numa loja de "cd(s)" em Sampa, ou lá eu faça um pedido de importação.


De todo modo, convido a todos se deixarem tocar por esta apresentação musical "muito linda", só não vale dar uma mordidinha, tá! (JRToffanetto)

Stan Gets, Tenor Sax - Kenny Barron, Piano - 
Eddie del Barrio, Synthesizer - Franc Zottoli, Synthesizer - 
Alex Blake, Base - Terry Lyne, Carrington, drums.

Googgle Imagens

Crônica do meio-dia _...que o sabiá te acompanhe

Ontem eu escrevi e publiquei a crônica abaixo sem passar olhos de revisão ortográfica. Quem a leu e viu meus erros como chuvisco de imagem quais das TVs à válvula, pois que, por extrema gentileza, desculpe-me. Quem souber de um bom ou uma boa revisora para qualquer hora do dia ou da noite, e que, como eu, trabalhe por puro prazer, por favor, indique-o(a) para mim. Enfim, ainda agora revi e arrumei meus lapsos linguísticos do último parágrafo. 

- Bonita esta palavra: parágrafo!!!



Meio dia. Calor de verão em primavera abafada e úmida, claustrofóbica, sem saídas, mas um vento repentino, surgido de onde ele sopra, murmurejou convite para me sentar à sombra. Sob a árvore, do asfalto ao meio do céu o sol deixou de derreter. Mais um convite: sabiá cantava e cantava a Poesia.

Alguém parou no meio da calçada olhando para mim como a marcar presença. Será que era eu quem deveria cumprimentá-lo? Fiquei com o sabiá mesmo porque não o reconheci, mas ainda me perguntei se ele queria pão.

- Jairo, está tudo bem com você?
Sim, agora o reconhecia passados trocentos anos do ginásio Geva.
Respondi-lhe assim:
- Você está ouvindo o sabiá?
Saindo do imobilismo pelo inesperado da minha resposta, exclamou com ironia:
- O Sabiá!...
Sorri ao lhe responder:
- É, o sabiá não te disse?
Com um desafeto no seu mal disfarçado sorriso exclamou:
- Entendi, depois a gente se fala. Vou indo.
- Pois então que o sabiá te acompanhe, meu caro.

Novamente estupefato à minha frente, ao olhar seus cabelos tingidos entrevi que quando ele perguntou se estava tudo bem comigo, melhor lhe ficaria se eu respondesse “maravilha” e logo encordoasse qualquer tema sobre futebol, tipo: "tirando meu time do brasileirão..." mas já não éramos colegiais. Talvez se perguntasse o que ele andava fazendo desse-lhe a chance de saber o mesmo de mim, pois acho que era o que queria. Enfim, pareceu-me que lhe dizer “que o sabiá te acompanhe” fora o mesmo “que o diabo te carregue”, pois ele, que pena, saiu pisando duro.

JRToffanetto

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Nuno Mindelis - "In trouble" Ao Vivo (pra quem gosta de som "descolado")


Fartos sete minutos de "In trouble" (Ao Vivo) que pedem mais sete e mais sete. Guitarrista e banda impecáveis. Blues em levada gostosíssima, dançante, ouvindo-se tudo, curtindo(-se) tudo.  Deixe-se rolar.(JRToffanetto)




segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Poema Imagético #3. Vida

fotoJRToffanetto

Poema Imagético – 3.
Vida

Dando-se em perfeição 
À luz solar que seus botões velados abriu
Árvore estende flores, vivas cores

Deita raízes

Nossos olhos de terra
À Luz que os abriu


JRToffanetto


Pelas ruas da Chácara Urbana, Jdí/SP


Haicai #46. _nos braços da noite


Haicai #46.
nos braços da noite

Emplastro estelar
nos braços da noite.
Mais uma tarde cai

JRToffanetto

                                                                       Google Imagens

domingo, 15 de novembro de 2015

Pertences do coração



Por serem pertences do coração, certas coisas são mesmo impagáveis, quase indescritíveis. Tem cheiro de bolo de cenoura com cobertura de chocolate e de pãezinhos da vovó, e que a gente gosta tanto, tanto ama que quer logo dar uma mordidinha, beber, chá de maçã cravo e canela, a eternidade. 

Coração gosta de surpresas, de saber que se é esperado, gostado, amado e, especialmente, de se fundir no outro, em todos os outros, sem reservas. Nada se expande mais do que ele quando em movimento. Só quem ama(-se) experimenta estas delícias e as divide. 

A sensação é do Amor Maior, de tesouro do Céu na Terra, e que você pode tocar, abraçar, dar mil e um beijinhos e dizer:

- Só você, baby...

JRToffanetto 

fotosJRTofffanetto _ estúdio em céu aberto

(clique em uma imagem para ampliar todas elas)