quinta-feira, 30 de março de 2017

AhManhã-PoemaSonhoConcreto


AhManhã(PoemaSonhoConcreto)
AhManhãEuCanto
ManhãManhãManhã
EsclarecerAlvorecer
SerCantoEsclarecer
DiaEscuroPerecer
SerCantoEuCanto
ManhãManhãManhã
AhManhãAlvorecer
A manhã eu canto.
(JRToffanetto)


Criar. Haicai #157


Criar. Haicai #157
Dente do siso:
do Nada e o Todo,
criar é preciso
(JRToffanetto)

Philip Glass,Violin Concerto No.1



terça-feira, 28 de março de 2017

À Poesia Luz. Haicai #569

Haicai #569 
À Poesia Luz
Botão de rosa,
à Poesia Luz pétalas estendendo
no seio da Terra do Céu
JRToffanetto

segunda-feira, 27 de março de 2017

Na tempestade. Haicai #568


Na tempestade
Haicai #568

Há um arco-íris
na tempestade, à vista
dos olhos da mente

JRToffanetto

Haicai. #394


Haicai. #394

Há um arco-íris
 no meio da chuva
à espera do sol
JRToffanetto

domingo, 26 de março de 2017

Haicai #203. Versos Azuis

Haicai
#203.

A rosa não obstou
tinteira do poeta, sorveu-a.
Rosou versos azuis
 JRToffanetto

Haicai #202. Na Rosa


Na Rosa
Haicai #202

Na rosa escrito
a ação a abrir o portão
do jardim restrito
(JRToffanetto)

Isto é um fato

Assim é a criatividade em rima com humanidade.
Dando calor ao metal frio, derretendo-o sem maçarico,
soldando o próprio fato ao encanto, à beleza do que somos,
afinal, a vida segue com "V" maiúsculo. (JRToffanetto)

ART & PHOTOS Fabrizio Bordone


sábado, 25 de março de 2017

Filho Meu (poema)


Filho Meu

Fechar a vidraça é preciso
para a luz entrar,
e até que a vidraça
se torne mais forte que o aço,
até que sua luz interior brilhe tanto tanto que...
à luz do meio dia, e pela Bondade,
seja um farol  a iluminar
tudo tudo que está no escuro.
Até lá,
fechar a vidraça é preciso
para a luz entrar.

(JRToffanetto)

sexta-feira, 24 de março de 2017

#Haicai 247. Poemas


#Haicai 247.
Poemas
Versos é arte, asas
voando no céu imenso
de volta às casas
(JRToffanetto)

Estandarte Haicai #237


Estandarte 
Haicai #237

Nuvem, estandarte
do sentimento do Eterno
a Poesia comparte
JRToffanetto

quinta-feira, 23 de março de 2017

Haicai #223. Atonal outonal


Atonal outonal
Haicai #223

Atonal suspense
da gralha que inverno rasga.
O outono grasna
JRToffanetto

The Gene Harris Quartet _Summertime

Jeff Hamilton (b), Gene Harris (p), Ray Brown (b)


terça-feira, 21 de março de 2017

Edvard Grieg - Morning Mood; Rachmaninoff - Romance

Em nós vive a longânime beleza, a pureza. Está na linguagem do silêncio, do sentir. É pertence da Bondade. Ela vai ao encontro do outro e sempre se encontra com a Beleza Maior. (JRToffanetto)



segunda-feira, 20 de março de 2017

Haicai #141. Raízes


Raízes. Haicai #141
 Raízes sustentam
em poeirinha de terra
a flor do asfalto
(JRToffanetto)

Claude Debussy - Suite bergamasque

Alexander Vaulin, piano

Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte (1884-6) de Georges Seurat

Aprendi com um grande mestre que o belo está nos olhos de quem vê(sente), desde então, dEle me tornei aprendiz.


Île de Grand Jette atualmente, mesmo local da pintura de Seraut


Clube da Esquina - Wagner Tiso


domingo, 19 de março de 2017

sábado, 18 de março de 2017

Haicai #566. No fundo da trova


Michelangelo

No fundo da trova.
Haicai #566
Cabelos escova
longeva diva do mar
no fundo da trova
JRToffanetto

sexta-feira, 17 de março de 2017

Valentin Silvestrov _4 Postludes I

"A música ainda é canto, mesmo que não se possa literalmente cantar. Não é uma filosofia, não uma visão de mundo, é sobretudo um canto, uma canção que o mundo canta sobre si mesmo, é o testemunho musical da vida." Valentim Silvestrov

Silvestrov é um compositor
e pianista ucrâniano, comtemporâneo.

Gregor Hilden _NATURE BLUES


quinta-feira, 16 de março de 2017

quarta-feira, 15 de março de 2017

Rastros de giz branco. Haicai #20


Rastros de giz branco.
Haicai #20
 Quadro negro cancro
não passa a limpo, apaga
rastros de giz branco
(JRToffanetto)

Ravi Shankar w/ Philip Glass - Passages 1990


Cedo Cai a tarde. Haicai #47.


Cedo Cai a tarde. 
Haicai #47.

De um poema longo
sussurrado pelas estrelas,
cedo cai a tarde
(JRToffanetto)

John Coolidge Adams - Common tones in simple time



John Adams levou o minimalismo a um novo patamar, caracterizado por sonoridades brilhantes e uma vigorosa abordagem dramática em formas musicais.

terça-feira, 14 de março de 2017

Texto sobre música e letra de David Lang


“(Somente/ou: Apenas) Depois da Canção das Canções” é a tradução aproximada do título a letra de David Lang - Just (After Song of Songs) (Youth Original Soundtrack Album). Para mim, de entendimento precário da língua inglesa, deu pra traduzir instantaneamente e, no mesmo instante,pus-me à audição, sentindo. Ao ver a lírica rolando sobre uma tela de pintura, fiquei só com a audição enquanto continuava compondo um poema - "O olho", neste meu "Poemas de Sol". A música de David Lang integrava-se àquele meu estado de criação, uma satisfação para além do sensorial. Isto foi ontem (domingo). Na terça-feira, ao ver a letra, fiquei estarrecido, não com a letra em si, mas do contraposto de Canção das Canções. Fiquei com o que senti em primeira audição.

Enfim, em Depois da Canção das Canções nada mais cabe, ou tão somente a sonhada religação com o Céu. O canto em sonoridade mântrica mais as intervenções dos instrumentos musicais, criam um estado favorável ao enlevo. Mas agora, sabendo da letra que me pareceu o do colher resultados, pergunto que resultados? Só o dos cinco sentidos? O material, o relativo, o palpável é tudo o que há ou o que fica? Desinteressei-me pela letra e também pelo filme que não assisti, ficou-me apenas a Canção das Canções que entrevi. Delicadamente bela, linda, acima de razões pessoais e íntimas. Quatro paredes não cabem em Just (After Song of Songs).

Quando isto ocorre, penso que a força do meu sentir possa, em todos os sentidos, prevalecer sobre o infortúnio da letra de Just (After Song of Songs) e seu mundo tão pequeno.
(JRToffanetto)

sexta-feira, 10 de março de 2017

Poema descalso.Haicai #293


Poema descalso
Haicai #293
No chão úmido de céu
pés caminham com a manhã
num poema descalço
(JRToffanetto)

João Donato - "Minha Saudade"

João Donato

quinta-feira, 9 de março de 2017

quarta-feira, 8 de março de 2017

JRTPoema _Na Terra do SOL

Cantar
da Poesia desde o começo
sem começo e fim eu vou.
Voltei para lavrar sob a Luz
da morada do amanhã de hoje.
Bebo da sombra ao sol do meio-dia.
Da palavra perdida dar sentido

Deixei minha viola.
Vou e fico, meu Sol,
escorrer da bica fresca,
lavar o verde musgo das pedras,
ensopar fendas do árido chão,
sentir a Luz no fundo, e lá,
aqui a Lira timbrar

JRToffanetto

Nouvelle Cuisine - VALSA DE EURÍDICE (Vinícius de Moraes)



Mensagem para o Dia Internacional da Mulher


Hoje se comemora o Dia Internacio-nal da Mulher,  mas um dia, amanhã, todo dia será Dia do Homem e da Mulher... Universais. A propósito, isto é  um sonho, um ideal para o qual se trabalha internamente em busca da Integração Cósmica no que cabe, já agora, em cada um de nós por um Princípio Eterno, o do Respeito que é maior que todos nós. (JRToffanetto)

domingo, 5 de março de 2017

Jairo _Espelho; Joep _Harmony of the Spheres; Yuri _ Poema

Espelho
Entro no espelho e o vejo encaixado na porta pelo lado de dentro do guarda-roupa. Cheiro de amaciante de roupas. Não converso com meus botões. São as camisas que falam por eles, o de garantir o alinho do abraço delas em mim. Mas as camisas... Dizem-me que eu as visto e as esqueço, e quando, elas ficam integradas em mim carregando até o meu cheiro. Dizem gostar mais dele do que deste ou daquele desodorante, e que isto não é exclusividade minha, mas das camisas de todos os guarda-roupas pelo mundo, ou pelo menos daqueles que gostam de si mesmos e de suas camisas, pois estes vão ao encontro dos outros. Ao se abraçarem elas se encontram com suas irmãs e até com suas primas, as camisetas. De repente, pelo buraco da fechadura entra um facho de luz fosforescente e a porta se abre. Toco todas elas com a mão. Com muitas delas contra o rosto, descubro que as amo. Fechei a porta e me olhei no espelho. Eu estava sem camisa.(JRToffanetto)
Ouvindo Harmony of the Sfheres (Joep Franssens), o Yuri me mostra seu último poema, o qual, me inspirou o texto acima logo depois de o agradecer ao Yuri. Veja-o:

"Entrei dentro do espelho
E me vi do outro lado,
Quartos apagados,
A sala vazia,
O meu olho luzia.
O escuro era mais claro,
Refizera-me sombra,
Coisas gravitavam nas paredes,
Os livro não tinham título
Amanheceu-se no mesmo lugar.
(Yuri Ulrych)"

quinta-feira, 2 de março de 2017

"Assim falou Zarathustra"

"Also Sprach Zarathustra (2001)" is an instrumental by Brazilian musician Eumir Deodato, from his 1973 album Prelude. It is a heavily jazz-funk styled rendition of the introduction from the Richard Strauss composition.

Estéreis desafetos (Fotopoema JRtoffanetto)


Há um céu azul tão dentro quanto fora.
Morada e espelho da alma
por onde quer nos movamos,
em tudo que tocamos,
por tudo o que somos.
Da cor da Harmonia,
expansão presente

Realidade... de concreto,
pesadelos da desconstrução do sentir.
Estéreis desafetos
(JRToffanetto)